Visualizar:

▼ Postagens (6)
  • Histórico dos Engenho

    22

    Jan
    22/01/2011 às 13h40

    O Primeiro ENGENHO  do Brasil
    O Primeiro Engenho Construído no Brasil

     

    O primeiro engenho construído no Brasil é devido às ordens de Martim Afonso de Sousa (1533) na capitania de São Vicente. Chamou-se engenho São Jorge. Mais tarde, adquirido pelo alemão Erasmo Esquert, passou a ser conhecido como S. Jorge dos Erasmos.
    Havia os engenhos "trapiches”, movidos por tracção animal (bois ou cavalos); outros, denominados “engenhos reais", eram movimentados por força hidráulicos; dividiam-se em "copeiros", "meio-copeiros" e "rasteiros", conforme a altura da queda dágua.
    Os "trapiches" eram movidos por sessenta bois, dispostos em turmas de doze, que faziam revezamento, trabalhando um total de quinze a dezasseis horas em vinte e quatro. O engenho constituía um organismo completo e que, tanto quanto possível, se bastava a si mesmo. Também no lugar montavam-se as serrarias de onde saíam acabado o mobiliário, os apetrechos do engenho, além da madeira para as casas. A "casa do engenho" possuía toda a maquinaria e instalações fundamentais para a obtenção do açúcar. Primeiramente, tínhamos a moendo, onde era amassada a cana para extrair a "garapa". Em seguida, a caldeira, necessária ao fornecimento do calor para apurar a "garapa"; depois, no tendal das forças, o açúcar era condensado e, finalmente, na casa de purgar, completava-se sua "branquearão". Havia engenho produtor de açúcar, as destilarias de aguardente, funcionando como actividade subsidiária. De outro lado deve-se citar a existência de engenhos exclusivamente produtores da cachaça, denominados "engenhosas" ou "molinetes". Servia a aguardente como elemento de troca no escambo de escravos, sendo assim de urna importância económica relativamente grande.

     

    O Primeiro Engenho do Nordeste

     

    Em 1535, próximo de Olinda (Pernambuco) era construído outro importante engenho, chamado Nossa Senhora da Ajuda ou Engenho Velho, de propriedade de Jerônimo de Albuquerque, começou a moagem do Engenho Nossa Senhora d’Ajuda. Jerônimo, português casado com a índia pernambucana M’uirá Ubi, filha do cacique Uirá Ubi, que depois das núpcias adotou o nome de Maria do Espírito Santo Arco Verde, senhor do primeiro engenho do Nordeste brasileiro, constituiu uma grande família. Tiveram os dois, vários filhos, entre eles, um guerreiro reconhecido em toda Nova Lusitânia por muitas vitórias, em várias batalhas, entre elas, duas espetaculares. Recuperou a região do Rio Grande, então dominada por franceses, reintegrou aos domínios portugueses a capitania do Maranhão. Homônimo de seu pai teve por honra conferida à adição de seu nome, Maranhão, uma homenagem à reconquista. Foi o Capitão Jerônimo de Albuquerque Maranhão. Guerreiro, plantador de cana, fabricante de açúcar. Faleceu em 1618, contava, então, 70 anos de idade.

     

    O Primeiro Engenho do Estado do Ceará

     

    José Martiniano Pereira de Alencar ( pai do escritor José de Alencar)

     

    Em 1836, José Martiniano Pereira de Alencar, na época presidente da Província, encomendou o engenho, que foi assentado pelo francês Gagné, sob a direção do engenheiro João Estevão Seraine. O engenho foi construído em terreno por trás da casa onde vivia a família. O menino José de Alencar tinha, então, sete anos. Mas no ano seguinte, José Martiniano transferiu-se para o Rio de Janeiro - onde foi primeiro senador escolhido pela Regência Permanente de 1831 – 1835. Em seu retiro, o Senador Alencar construiu, de fronte à casinha atijolada, quando na Presidência da Província, a casa grande destinada ao alojamento da tropa de milícias.

    Para criar oportunidades para muitos e marcar o início da arrancada para o progresso agropastoril, pela lei 46, de 14 de setembro de l836, providenciou a aquisição de engenhos, arados, modelos de máquinas de serrar, de descaroçar algodão, descascar café, debulhar milho, espremer e peneirar mandioca, de fazer manteiga. Os engenhos, à proporção que chegavam, iam sendo montados nos sítios já fundados e nos que se iam fundando. Neste “acelerar, o município chegou a possuir trinta engenhos, sendo dois a vapor”.

     

  • convidamos você PARA Vim Vê A MAIOR RAPADURA DO MUNDO!!!!!!!!

    31

    Out
    31/10/2010 às 13h58

    Em Pindoretama, não fuja à regra de se deliciar com a maior rapadura do mundo e com os engenhos que cuidam da produção de cachaças artesanais e derivados da cana-de-açúcar.Venha nos visitar!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Ceará produz a maior rapadura do mundo

    31

    Out
    31/10/2010 às 13h40

    Ceará produz a maior rapadura do mundo. A maior rapadura do mundo foi feita por produtores do município de Pindoterama, a 45 quilômetros de Fortaleza, no Ceará. Com 1,3 tonelada, quatro metros de comprimento, dois de largura e 11,5 centímetros de espessura, o doce típico do Nordeste está fascinando os visitantes da Feira do Empreendedor, que acontece até o próximo sábado (25), no Centro de Convenções da capital cearense.Mais de dez ingredientes foram utilizados na produção da super rapadura, entre eles amendoim, erva-doce, castanha de caju, canela em pó, gergelim, diversas frutas tropicais além é, claro, de 12 quilos de cana-de-açúcar.A rapadura foi apresentada pela primeira vez durante o lançamento do 1° Festival de Cana-de-Açúcar, realizado de 14 a 16 de julho, em Pindoterama. A intenção é que esse festival passe a fazer parte do calendário turístico do Estado do Ceará, sendo realizado sempre na segunda semana de julho.Conhecida como terra dos canaviais, o pequeno município de Pindoterama é o maior produtor de cana-de-açúcar do litoral leste e um dos maiores do País, com grande potencial de comercialização. Seu indicador econômico é baseado na agricultura, que se constitui como uma das atividades mais importantes na economia do município. Estima-se que este setor seja responsável por cerca de 36,8% da arrecadação.Existem entre 35 e 40 engenhos no município, que produzem, essencialmente, cana e derivados. Pindoterama oferece, ainda, ao turista o rico artesanato local, como as rendas de bilro, o bordado, o crochê, confecção, artigos em cipó, cerâmica e madeira trabalhada.

  • É NO COMPLEXO TRADIÇÃO

    26

    Out
    26/10/2010 às 00h55

    A Maior do Mundo!!!

  • Turismo: A maior Rapadura do Mundo

    26

    Out
    26/10/2010 às 00h30

    5º Festival da Cana-de-açúcar. Cana plantada, cana cortada, cana moída. Dos caldeirões fumegantes dos engenhos, vapores doces e cálidos se elevam no ar, preenchendo os sentidos com os sabores do sertão. A habilidade dos homens de engenho, que mexem e trabalham a mistura doce e de cor caramelada, faz com que ela ganhe consistência e firmeza, até ser despejada nas fôrmas, onde endurece. A rapadura, uma das comidas mais tradicionais do Nordeste, é o carro-chefe da quinta edição do Pindorecana, festival da cana-de-açúcar, que acontece de 25 a 27 de junho em Pindoretama, a 41km de Fortaleza. O evento busca valorizar a produção dos diversos derivados de cana-de-açúcar, um dos principais produtos da economia local. Unindo tradição ao atual, o festival mostra as muitas formas de utilização da cana, seja na atividade artesanal (com aproveitamento do bagaço da cana) ou mesmo como ingrediente de receitas criativas, que devem surpreender o paladar dos visitantes.
  • A Maior Rapadura do Mundo em Pindoretama- Ceará

    26

    Out
    26/10/2010 às 00h13

    A maior rapadura do mundo está na cidade de Pindoretama - CE, no Complexo Tradição. Um espaço planejado para unir a tradição com o bom gosto
Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2016 XPG | Siga esta corrente